segunda-feira, 15 de novembro de 2010

Jennifer Maestre — Uma mestra em esculturas, a lápis

Descobri Jennifer Maestre ao procurar uma foto das esculturas de um amigo. Gostei de imediato das formas, das cores e do aspecto lúdico do trabalho, montado com pequenos e exatos pedaços de lápis colorido. A atração pela obra talvez esteja exatamente nisto: TOQUINHOS DE LÁPIS COLORIDO – uma imagem que remete à infância e ao prazer de colorir levado ao extremo, até o menor toquinho possível que ainda permitisse aos pequenos dedos extrair o último tantinho de cor.

Essa mestra, que circula por todo o mundo com suas esculturas, nasceu em Johannesburg, África do Sul. Seu trabalho com lápis surgiu de uma curiosa fonte de inspiração: o ouriço-do-mar. Em seu site, Jennifer explica: “Os espinhos do ouriço, tão perigosos mas tão belos, servem de alerta explícito de que não devem ser tocados. Sua textura, no entanto, nos atrai ao toque, apesar das possíveis consequências. À medida que essa tensão se desvela, sentimos um puxão e um empurrão, o desejo e a repulsão. Os segmentos de lápis apresentam aspecto afiado e liso ao mesmo tempo — duas experiências muito distintas de estética e textura”.

Uma entusiasta sobre seu trabalho, a escultora afirma que “o paradoxo e a surpresa são inerentes à minha escolha de materiais. Utilizo grande quantidade de objetos produzidos industrialmente para criar formas flexíveis que lembram os formatos orgânicos de animais e da natureza. Os lápis são objetos comuns, e aqui [na escultura] esses objetos anônimos se tornam a estrutura. Certamente há uma fragilidade no aspecto por vezes brutal dessas esculturas, uma vulnerabilidade que é desmentida pela textura atemorizante”.

A foto acima é de uma das esculturas que representa uma estrela-do-mar (“parente próxima” do ouriço-do-mar) em visão ventral (ou seja, olhada por baixo). Conheça mais sobre a escultora e suas obras:


 

Blog da Maria Eugênia Amaral Copyright © 2011 -- Powered by Blogger